Como vencer a insegurança no relacionamento de casal

A insegurança no relacionamento amoroso nem sempre está na sua forma mais visível, muitas vezes ela se esconde em comportamentos que podem parecer naturais. 


O medo de perder a pessoa amada te faz agir de forma diferente de quem você realmente é? Você se cobra demais? A sua felicidade é totalmente dependente de estar com a pessoa amada? Tem medo de não ser bom o suficiente, por isso se esforça demais para ser um bom parceiro(a)?

Se você responde que sim para algumas das perguntas acima, provavelmente sofre com esse sentimento. A origem de tudo isso é o medo que todos nós temos, de fracassar, de errar, de perder, de desistir, etc. Quando esse medo te paralisa e te impede de crescer, ele se torna prejudicial para sua vida. 


Os relacionamentos amorosos devem ser fontes de motivação e de inspiração na nossa busca pelo desenvolvimento, e não um freio na sua jornada. 

Por isso, escrevemos este artigo para te ajudar a entender como superar a insegurança no amor.

A insegurança no relacionamento

A insegurança por si só já é um estado emocional que te faz se sentir inferior aos outros. Dominado por ela você passa a acreditar que não é bom o suficiente para fazer algo ou até mesmo para ser reconhecido, aceito ou amado.


Quando ela está conectada à um relacionamento amoroso, faz surgir os medos mais irreais possíveis, ciúmes exagerados e sem fundamentos, carência extrema, criação de histórias fantasiosas de traição, e muitas outras coisas que prejudicam a saúde da relação. 

É como se a manifestação de um complexo de inferioridade fosse completamente direcionada ao outro, por meio de acusações infundadas, reclamações constantes e cobranças absurdas.


O relacionamento precisa de boa convivência, confiança, e trocas equilibradas para ser saudável.

De onde vem tanta insegurança?

O seu modo de se relacionar com as outras pessoas está conectada com a relação que teve com seus pais, ou responsáveis, desde a gestação e também durante a infância. 

Já é comprovado cientificamente que as emoções e sentimentos dos genitores podem ser transferidas para o bebê que ainda está dentro do útero. As mamães que passaram por situações de medo extremo, relacionamentos abusivos ou tóxicos, depressão, entre outras ocorrências onde o sentimento negativo predominou, podem ter transferido todas essas sensações ao bebê, mesmo sem perceber ou ao menos desejar isso.


Além disso, o que você viveu durante a sua infância também pode ter forte influência nos seus medos e inseguranças hoje. As experiências vividas, as frustrações sentidas, os estímulos e incentivos recebidos, e muitos outros fatores contribuem para a construção dessas emoções.

Crianças que foram muito criticadas, xingadas ou cobradas podem crescer acreditando que nunca serão boas o suficiente para suprir as expectativas dos outros.


Para entender de onde vem a sua insegurança é preciso olhar para trás, e entender qual foi a experiência que construiu essa emoção em você.

Exemplos de insegurança no relacionamento

Listamos alguns exemplos que indicam a presença da insegurança na relação para que você possa identificar se isso já aconteceu com você ou não.

  • Desejo estar sempre escutando elogios para ter certeza de que sou mesmo bom/boa o suficiente;

  • As brigas estão sendo frequentes no nosso relacionamento, eu sempre mexo no celular dela/dele para confirmar se ela/ele está flertando com outras pessoas, e também desconfio com frequência se ela/ele está ou não falando a verdade;

  • De vez em quanto ela/ele prefere ficar sozinha(o), e ter um tempo para ela/ele mesma(o). O que estou fazendo de errado? 

Se você conseguiu se colocar em algumas das situações acima, é sinal de que a insegurança afeta sim o seu comportamento. 

Como vencer a insegurança no relacionamento


Questione-se

Muitas vezes nossos medos e inseguranças são totalmente irreais e nada há de concreto que indique o que tanto tememos.

Para evitar que isso aconteça você precisa parar um pouco e se questionar com sinceridade se o seu receio é real ou não. 

Se necessário, pergunte para pessoas próximas e de confiança, o que elas acham dessa desconfiança. 

Existe mesmo algum motivo bom o suficiente para que você se sinta dessa maneira em relação ao outro?


Valorize-se

O primeiro passo para se valorizar verdadeiramente é acabar com as comparações.

Toda vez que você se compara a qualquer outra pessoa, anula suas próprias qualidades. Cada pessoa é única, e o seu parceiro, ou sua parceira, te escolheu por quem você é. Então de nada adianta ficar usando as comparações para se desvalorizar. 

Olhe mais para os seus talentos e conquistas, reconheça suas habilidades e qualidades. Quando você se aceita passa a ter mais segurança no seu modo de agir e pensar.


Você pode fazer uma lista sobre as características que mais gosta em si mesmo, ou até de tudo o que já conquistou até agora. E sempre que estiver sendo rigoroso ou duro demais consigo mesmo, consulte a lista e lembre-se de todas as coisas boas. 

Conheça a si mesmo

O autoconhecimento é essencial para se livrar da insegurança. Olhar para dentro vai permitir que você entenda as origens do seu comportamento, facilitando no combate a essa emoção tão prejudicial.


Também vai ser possível revisitar sua própria história, e assim fazer as pazes com os momentos que incentivaram tanta medo e insegurança, lembre-se que você e as pessoas envolvidas deram o melhor que podiam, e que esse melhor nem sempre é algo bom, porque algumas pessoas não tem muito a nos dar. É preciso ressignificar essa dor, e isso só é possível quando você está em contato direto consigo mesmo.

Conclusão

A insegurança é uma emoção instintiva do ser humano, e por isso pode ser muito complicado não sentir-se inseguro em algumas situações. O importante é que você tenha em mente a necessidade de reajustar seu comportamento, sem permitir que ela te faça agir de maneira incoerente. 

Esse artigo fez sentido pra você? Se esse conteúdo te ajudou de alguma forma, e você acredita que ele pode ajudar muitas outras pessoas, sinta-se livre para curtir e compartilhar nas suas redes sociais.


Iniciar sessão to leave a comment


Confira 5 dicas de como agir e educar filhos rebeldes