Conheça os principais sintomas de um surto psicótico e saiba o que fazer

Algumas pessoas podem desenvolver o que chamamos de surto psicótico, marcado por uma alteração repentina e acentuada no seu comportamento, delírios, alucinações e reações completamente descabidas e desproporcionais à realidade. 

Durante esse episódio, a pessoa sofre com uma dissociação psíquica onde perde a noção da realidade e é incapaz de raciocinar usando a razão. 

Conhece alguém que já passou por isso ou, quem sabe, você mesmo já sofreu com esse desafio?

Neste artigo, vamos partilhar como lidar com uma pessoa em surto psicótico e o que pode ser feito para prevenir esses episódios.

A origem do surto psicótico

Existem algumas doenças psiquiátricas que podem levar a episódios de surto psicótico, como os distúrbios de personalidade, o transtorno bipolar, o transtorno obsessivo compulsivo (TOC), a esquizofrenia, entre outros.

Algumas condições médicas também podem induzir ao surto, como a esclerose múltipla, tumores cerebrais, epilepsia, Alzheimer, insuficiência hepática ou renal, lúpus, sífilis e SIDA.

A dependência de álcool ou drogas alucinógenas também podem desencadear o surto psicótico.

Mas, o surto também pode se tratar apenas de um episódio isolado, sem necessariamente estar conectado com algum transtorno. Nesse caso, é chamado de episódio psicótico breve.

De qualquer forma, em todos os casos, as alterações no cérebro causam uma hiperatividade dos neurónios da região límbica, causando uma "desorganização" dos pensamentos e alteração na percepção das coisas.

Sintomas do surto psicótico

A pessoa que entra num surto psicótico perde o contato com a realidade de forma abrupta. Por isso, os sintomas podem ser tão marcantes, porque não condizem em nada com o comportamento usual da pessoa.

Listamos aqui alguns desses sintomas:

Delírios ou alucinações

Vê coisas que não estão ali, escuta vozes e sons que não são reais. Os seus delírios distorcem a realidade e podem ser relacionados com:

Grandeza - Acreditar possuir muito poder, ser valioso, manter relações poderosas e especiais com entidades divinas, etc;

Ciúme - Ter certeza que o parceiro é infiel e discute exageradamente com ele;

Perseguição - Pensar que está a ser perseguido a todo o momento e em todos os lugares;

Somático - Acreditar ser portador de uma doença;

Misto - Casos onde mais de uma das situações citadas acima acontecem.

Linguagem confusa

Passa a ter um discurso fragmentado, que não tem sentido ou coerência alguma. Muda constantemente de assunto, sem ao menos fazer uma conexão entre um e outro, além de falar numa velocidade rápida.

Comportamento inadequado

Apresenta um comportamento que não condiz com o seu normal, podendo estar no extremo da agitação e agressividade, com muita movimentação corporal ou então num estado catatónico, onde quase não demonstra qualquer tipo de reação aos estímulos exteriores.
 

Estado de agitação: Não para de se movimentar, volume da voz elevado, punhos cerrados, inquietação, etc.

Estado catatónico: Olhar estático, arrastar os pés ao caminhar, sem expressão corporal, etc.

Embotamento emocional

Deixa de ser capaz de sentir ou expressar as suas emoções. Não demonstra estar feliz ou triste, mantém uma expressão facial inerte que nada revela.

Instabilidade no humor

Pode ir de uma euforia completa e intensa para um estado depressivo em pouco tempo e com muita facilidade.

Se em determinada situação se encontra triste e deprimido, pode rapidamente tornar-se eufórico e começar a rir de maneira totalmente inapropriada ou até mesmo demonstrar o seu afeto ou emoções de maneira intensa e exagerada, o que pode assustar as outras pessoas.

Perde-se no tempo

Perde a noção do tempo e pode até mesmo acreditar estar a viver algo que já aconteceu há muitos anos. Esquece-se e confunde-se sobre a sua localização no tempo.

Confusão mental

Perde boa parte da capacidade de foco ou concentração até mesmo num pensamento específico.

Como agir quando alguém estiver em surto psicótico

É essencial que a pessoa seja prontamente encaminhada a um hospital, assim que os sintomas forem identificados. Somente lá vai poder receber os cuidados necessários e a medicação indicada para ajudá-la.

Assim que o surto for controlado, o psiquiatra vai poder fazer o diagnóstico do paciente e determinar se foi apenas um episódio breve ou se pode estar associado a outras doenças.

Enquanto aguarda a ajuda médica, é importante manter uma postura neutra e não confrontá-la. Não é hora de questionar as alucinações ou delírios e sim de ser o mais compreensível possível. Leve a pessoa para um local onde ela não fique próxima de objetos perigosos e nocivos, como armas ou facas.

Se ela já está em algum tipo de tratamento, contate rapidamente o médico responsável por ela. O médico vai-lhe passar as medidas e ações que precisam de ser realizadas.

Casos leves podem ser tratados no ambulatório sem que haja a necessidade de uma internação. Já os casos mais graves requerem a internação psiquiátrica para que se possa investigar as causas do surto e realizar as intervenções apropriadas.

É muito importante que a pessoa seja ajudada o quanto antes, pois o surto pode levá-la a tomar decisões precipitadas e inconsequentes, podendo chegar até o extremo do suicídio.

Como prevenir um surto psicótico?

A maioria das causas do surto psicótico são imprevisíveis e, por isso, muito complicadas de serem evitadas. Existem alguns indícios que podem ser notados, como a queda no rendimento profissional, escolar ou em outras atividade quotidianas. Nesses casos, é essencial ficar atento aos pequenos sinais e estar sempre em contato com um profissional especializado.

Uma forma eficaz de prevenir o surto quando ele for de origem das substâncias alucinógenas, é evitar o uso de drogas. Elas agem diretamente no sistema nervoso central e alteram funções que são importante em todo o nosso organismo. É comprovado que o uso dessas substâncias pode induzir a um caso de doença psiquiátrica grave.

Não tenha medo de decidir levar alguém ao hospital por causa da identificação de alguns sinais, afinal qualquer tipo de alteração comportamental já é o bastante para que seja necessária uma avaliação médica.
 

A melhor forma de se prevenir vai ser sempre estar em dia com os cuidados da saúde mental e manter um estilo de vida com hábitos saudáveis para o corpo e para a mente. Fazer uma visita ao médico periodicamente para acompanhar a saúde também é um importante passo para minimizar o risco do surto.

Conclusão

É de extrema importância estar atento aos sinais de um surto psicótico e, ao identificar algum sintoma, é essencial procurar a ajuda médica necessária.

Se conhece alguém que sofra com esses episódios, procure conversar com essa pessoa nos momentos de lucidez e incentivá-la a procurar um tratamento para que possa recuperar a qualidade de vida e estabilidade emocional.

Este artigo fez sentido para si? Se este conteúdo o ajudou de alguma forma, e acredita que ele pode ajudar muitas outras pessoas, sinta-se livre para curtir e compartilhar nas suas redes sociais.


Iniciar sessão to leave a comment


6 dicas de como lidar com a inveja da felicidade dos outros