Entenda a diferença entre psicólogo e psiquiatra

Entenda a diferença entre psicólogo e psiquiatra

A dúvida mais comum para quem vai buscar ajuda especializada para lidar com a saúde emocional é qual o tipo de profissional é o mais recomendado. Se deve procurar um psicólogo, ou se seria melhor ir atrás de um psiquiatra. 


Isso acontece porque a diferença entre esses dois profissionais não é de conhecimento geral, e por isso muitas pessoas até mesmo desistem de buscar a ajuda necessária por não saberem como proceder. 


Podemos dizer que existem muitas semelhanças entre as duas profissões, mas são as diferenças que devem ser notadas para que a melhor escolha seja tomada. 


Neste artigo vamos falar sobre o que diferencia um psicólogo de um psiquiatra, esperamos que isso te ajude a escolher o profissional mais indicado para o seu caso.

A diferença entre psicólogo e psiquiatra

Tantos os psicólogos, como os psiquiatras são profissionais da área da saúde que estão completamente habilitados para tratar das questões psíquicas e mentais. Todos os dois são preparados e especializados em realizar o processo de psicoterapia e ajudar o paciente com as questões que estão ligadas à mente e ao emocional.


Vamos entender melhor as diferenças?

Diferenças na formação acadêmica

Psiquiatras:

Os psiquiatras são profissionais graduados em Medicina. É necessário que eles se formem como médicos primeiro, e logo em seguida façam uma residência médica na área da psiquiatria com duração de 3 anos.


Durante esse tempo de residência eles fazem estágios em diversas áreas como clínica médica, neurologia, emergência psiquiátrica, enfermagem, dependência química, psiquiatria infantil, entre muitas outras. Também experimentam a prática médica em alguns ambulatórios especializados em psicoterapia, transtornos de humor e esquizofrenia.


Para se tornar um psiquiatra é necessário então pelo menos 9 anos de de estudos acadêmicos e práticos, sendo 6 na graduação de medicina e 3 na residência médica. 


É comum que os psiquiatras mais preocupados com sua profissão também realizem estudos complementares para se manterem atualizados, buscando principalmente formações strictu senso (mestrado e doutorado), o que adiciona na faixa de mais 6 anos de estudos.


Todo psiquiatra é plenamente capacitado para prescrever tratamentos medicamentosos, graças à sua formação médica.

Psicólogos

Os psicólogos são profissionais graduados em Psicologia, a ciência que trata os processos e estados mentais, do comportamento humano e das interações com o ambiente social. 


O curso de graduação em psicologia tem a duração de 5 anos e oferece a possibilidade de atuação em diversos campos:


  • Psicologia Escolar/Educacional

  • Psicologia Organizacional e do Trabalho

  • Psicologia de Trânsito

  • Psicologia Jurídica

  • Psicologia do Esporte

  • Psicologia Clínica

  • Psicologia Hospitalar

  • Psicopedagogia

  • Psicomotricidade

  • Psicologia Social

  • Neuropsicologia

O Psicólogo Clínico

A psicologia clínica é a escolha feita pelos psicólogos que desejam atender pacientes em consultório. 


É necessário que o profissional passe por estágios supervisionados em clínicas escola durante a graduação. Além de serem preparados e habilitados para a aplicação de testes.


Outro ponto importante e que deve ser levado em consideração ao escolher um psicólogo, é que eles devem ser supervisionados por colegas de profissão mais experientes e também fazer regularmente psicoterapia pessoal, para garantir que não vão misturar seus desafios pessoais com os dos pacientes que atendem. 


Nem todo mundo tem acesso à essa informação, por isso é de suma importância que você pesquise muito para garantir que o psicólogo escolhida atenda todos esses requisitos.

Diferenças no tratamento

Além da formação acadêmica, também existem diferenças no tratamento disponibilizado por esses profissionais. 


Os dois estão habilitados para conduzir o processo de psicoterapia, onde conversam com o paciente sobre seus desafios e obstáculos. A diferença está na localização do foco de cada profissional. 


O psicólogo vai sempre observar de perto o comportamento do paciente, investigar os os padrões alimentares, de sono, e tentar entender quais pensamentos ou comportamentos podem estar sendo a origem do problema que ele enfrenta.


Já o psiquiatra está muito mais focado em aspectos biológicos e neuroquímicos. Ou seja, antes mesmo de determinarem se um paciente está ou não sofrendo de algum transtorno psicológico, ele vai investigar se existe alguma deficiência de hormônios ou vitaminas que possa estar sendo a origem de tudo. 


Para isso ele faz uso de exames de imagens, testes psicológicos e neurológicos, tudo para avaliar a situação, podendo até mesmo solicitar outros exames laboratoriais. 


Somente após esse diagnóstico ele então prescreve o tratamento medicamentoso que seja mais eficaz de acordo com a situação, com o objetivo de tratar e reabilitar os mais diversos transtornos mentais, como a esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar, etc.

Profissões que se complementam

É altamente recomendado que em casos de transtornos mentais se dê preferência para o trabalho com equipes multidisciplinares, compostas de psiquiatras, psicólogos, neurologistas, fonoaudiólogos, e outras especialidades que sejam necessárias de acordo com o diagnóstico.


Vamos pensar em um quadro de depressão para entender melhor como isso funciona. 


O psiquiatra será o médico responsável por prescrever os remédios necessários para aliviar os sintomas do paciente. O psicólogo será o profissional que vai ajudar o paciente a compreender seus desafios e a enfrentá-los da melhor forma possível. 


O trabalho conjunto dessa equipe tem que como objetivo principal ajudar o paciente a aprender como lidar sozinho com seus desafios e levar uma vida mais equilibrada para  parar de fazer uso dos remédios e se tornar independente emocionalmente.

Conclusão

O psicólogo e o psiquiatra são peças fundamentais para o tratamento dos transtornos emocionais e mentais. Sabendo o papel de cada um nessa área fica mais fácil escolher qual a melhor opção para a sua necessidade.


O mais importante é buscar a ajuda especializada quando for preciso, pois as consequências de um transtorno não tratado ou reprimido podem ser muito prejudiciais.


Esse artigo fez sentido pra você? Se esse conteúdo te ajudou de alguma forma, e você acredita que ele pode ajudar muitas outras pessoas, sinta-se livre para curtir e compartilhar nas suas redes sociais.


Iniciar sessão to leave a comment


Entenda a diferença entre um amor e uma paixão para a vida de uma pessoa