O que é carência afetiva e como tratar?

Conhece alguém que pode ser extremamente submisso quando está num relacionamento? Ou que tenha ciúmes fora do comum?

É natural sentir a necessidade de ser amado, ou de receber carinho e atenção, mas quando isso acontece de uma forma muito exagerada e intensa existe o que nós chamamos de carência emocional.
 

Ser emocionalmente dependente de outra pessoa é um estado que pode trazer muitos prejuízos tanto para a vida pessoal quanto para a profissional.
 

É preciso estar atento e identificar os sinais para poder valorizar-se mais e superar esse desafio.

Neste artigo vamos falar mais sobre este tema tão importante.

O que é carência afetiva?

Talvez ainda não tenha conhecimento sobre isto, mas todos nós temos um pouco de carência afetiva dentro de nós, até aqueles que são mais distantes e frios... e isso é algo completamente natural!

Acontece que algumas pessoas não sabem lidar com esse estado emocional e acabam por desenvolver um nível exagerado de carência.

Chamamos esse estado de Dependência Emocional Afetiva. O grande desafio é que não só afeta a pessoa que sofre com a condição, como também a que se relaciona com ela, pois nunca consegue ser suficiente para as expectativas surreais que o outro nutre.

O maior risco de manter-se com um nível alto de carência é a vulnerabilidade que se tem ao criar relações, dando abertura para que oportunistas se aproximem ou relações tóxicas comecem. Fica tão carente que não percebe o perigo quando alguém assim aparece na sua vida e entrega-se.

A origem da carência afetiva

A carência afetiva acontece quando passa a acreditar que somente o outro é capaz de fazê-lo sentir-se amado e que é responsabilidade dele completá-lo.

Essa crença muitas vezes tem origem ainda no período da infância, quando a criança sofre com abandono ou rejeição por parte de alguém que ela ama, não recebe atenção suficiente, ou até mesmo quando interpreta de forma traumática um fato emocional da sua vida.

Outra causa comum é quando alguém passa por uma situação onde recebe atenção excessiva (amor, afeto, carinho, cuidado) e por isso começa a acreditar que precisa de toda essa intensidade para ser feliz e que somente outra pessoa é capaz de suprir essa necessidade.

A dependência emocional gera uma cobrança excessiva das outras pessoas, principalmente no relacionamento amoroso.

Quais são os sintomas de carência afetiva?

Se começou a identificar-se com as descrições acima, confira a lista de outros sintomas comuns da carência afetiva para reconhecer se está a lidar com uma.
 

      Medo constante e incontrolável de desagradar;
      Ciúme excessivo;
      Sentimento de inferioridade, o outro sabe mais, conhece mais, etc;
      Falta de perspectiva na vida ou de planos para si mesmo;
      Submissão extrema aos outros, nunca fala não;
      Acredita que o outro tem a obrigação de trazer a felicidade;
      Pensa que sem o outro não consegue ser feliz;
      Vive em função dos sonhos do outro, nunca os seus;
      Medo irracional da solidão, chegando ao ponto de não terminar um relacionamento tóxico porque não acredita conseguir viver sem alguém;
      Necessidade de chamar a atenção das pessoas.

Como livrar-se desse mal?

A primeira coisa que precisa ser entendida é que o outro apenas pode complementar a nossa felicidade e completá-la. A única pessoa responsável pelos seus sentimentos é você mesmo.

As pessoas que convivem consigo e que o amam não têm a obrigação de suprir todas as suas necessidades, assim como você também não precisa suprir as delas.

É preciso entender que nem todo o mundo demonstra o amor da mesma maneira e muitas vezes, quando parece que não somos amados, é exatamente o contrário que está a acontecer.

Conheça melhor as pessoas, a forma como elas mostram o afeto que sentem por si, esteja atento e não espere que isso seja feito da forma como considera a “correta”.

O outro é um ser único assim como você e que tem o direito de falhar e de ter defeitos. Aprenda a olhar com carinho para as suas limitações e também para as dos outros. Se ninguém é perfeito, como vai existir o relacionamento perfeito?

A primeira pessoa que precisa de amar é a si mesmo, lembre-se disso. Você é capaz, tem qualidades, tem as suas conquistas e é extraordinário mesmo que não acredite nisso.

Deixamos aqui algumas dicas para superar a carência afetiva.

Curta a sua própria presença

Pode e deve ser feliz mesmo quando está sozinho.

Separe um tempo para si e vá fazer o que gosta: ir ao cinema, dançar, comer, assistir a uma série, ou seja, o que preferir.

O importante é saber aproveitar os momentos em que está sozinho e divertir-se.

Se está num relacionamento, isso vai ajudá-lo a entender a importância de cada um ter o seu espaço e, se ,ainda não está isso vai prepará-lo para quando entrar num.

Cultive o amor-próprio

Relacionamentos terminam e isso faz parte da vida.
 

Está tudo bem sentir-se triste, mas acreditar que nunca mais será feliz é algo totalmente fora da realidade.

Aprenda a amar-se mais, se quer encontrar a felicidade. Para isso, não precisa de mais ninguém além de si mesmo.

Após um término tire um tempo para si mesmo

É comum vermos pessoas que saem de um relacionamento e logo em seguida já estão noutro.

Acontece que isso pode ser muito negativo, uma vez que ninguém se recupera tão rapidamente de uma decepção e, por isso, as chances de se desenvolver a carência afetiva ou de cometer os mesmos erros do passado são muito grandes.

Separe um tempo para relembrar como é estar em contato consigo mesmo, reaprenda a gostar da sua presença, redescubra-se, afinal um relacionamento pode mudar-nos profundamente e precisamos sempre de um tempinho para nos reencontrarmos.

Procure ajuda

Nem sempre é fácil superar a carência emocional sozinho e isso não é motivo de vergonha. Pelo contrário, procurar ajuda profissional quando necessário, mostra que se preocupa consigo mesmo e deseja deixar esse período da sua vida para trás da melhor maneira possível.

Um psicólogo vai poder ajudá-lo a entender a causa de tudo e o melhor caminho para a superação.

Conclusão

Muitas vezes não percebe que está dentro de um estado emocional prejudicial. Por isso, além de ficar atento aos sintomas e sinais, escute também as pessoas que estão ao seu redor.

É importante reconhecer-se nesse quadro para então poder tomar as providências necessárias.

Gostou deste artigo? Partilhe connosco nos comentários se já teve que lidar com a carência emocional e compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais para que mais pessoas possam ter acesso a esta informação.

Iniciar sessão to leave a comment


25 características de uma pessoa imatura emocionalmente