Passou dos limites! 4 dicas de como curar a obsessão por uma pessoa

Algumas pessoas desenvolvem um sentimento obsessivo em relação a outras. Isso acontece devido a um medo extremo de ser abandonado/a ou rejeitado/a, o qual está frequentemente associado a uma situação de rejeição no período infantil, seja ela real ou percebida.

Conviver com uma pessoa assim pode ser muito cansativo, já que elas costumam exigir e cobrar demais, sem permitir que o outro cultive um tempo para estar sozinho, aproveitando a sua individualidade.
 

Numa tentativa de preencher os vazios emocionais deixados pela rejeição que sofreu, a pessoa projeta todas as suas carências e necessidades no outro.

Uma situação assim pode ser potencialmente perigosa, uma vez que existem muitos relatos de relacionamentos obsessivos que terminaram em grandes tragédias.

Neste artigo, vamos falar sobre o amor obsessivo e como fazer para colocar um fim nesse sentimento.

O que é o amor obsessivo

É quando alguém ultrapassa a linha do que é considerado saudável emocionalmente e fica completamente obcecado por outra pessoa. Algumas vezes, quem sofre com esse sentimento, nem sequer é próximo da pessoa pela qual nutre uma obsessão.

Podemos dizer que a baixa auto-estima é uma das características que leva alguém a encontrar-se nessa situação. As experiências de abandono sofridas fazem com que ela desenvolva um vazio emocional e, para suprir isso, deixa a responsabilidade de ser amada e não abandonada noutra pessoa. É como se acreditassem verdadeiramente que, se tiverem o outro, nada mais vai dar errado nas suas vidas.

Outra característica marcante é que existe uma forte tendência de sentir-se intensamente impactado/a ao conhecer alguém novo e interessante aos seus olhos, o que faz com que não consigam parar de pensar na pessoa mesmo sem saber direito quem ela é. Fantasiam sobre um relacionamento e rapidamente desenvolvem um sentimento por ela.

Eu tenho obsessão por uma pessoa?

Encontrar uma resposta para essa pergunta pode ser muito desafiador, pois, normalmente, existe a ideia de que amar exageradamente alguém é algo positivo - o que pode não ser verdade.

Qualquer relação que envolva insegurança extrema, dependência irracional e intensidade obsessiva de emoções não é algo natural ou aceitável.

Para ajudá-lo/la a analisar se o seu amor se transformou em obsessão, deixamos aqui algumas reflexões que precisa de fazer.

  • Sente que não poderia ser feliz sem essa pessoa?

  • Quando ela não está por perto, fica sem saber o que fazer e tudo o que sente é saudade?

  • Tem muito medo de ser abandonado/a?

  • Mudou o seu jeito de ser por medo de ser rejeitado/a?

  • Acredita que a pessoa tem a obrigação de estar ao seu lado o tempo todo?

  • Sente ciúmes de qualquer situação o tempo todo?

 

Caso tenha respondido sim para as reflexões acima, significa que é preciso começar a reavaliar os seus sentimentos.
 

O amor não é ser dependente do outro para ser feliz, mas sim primeiro ser completo sozinho e permitir que o outro venha apenas para acrescentar.

Sentir-se inseguro/a também não é algo legal. Isso vai fazer com que viva a sua vida em função do outro, deixando de lado a sua própria essência, tornando-se muito prejudicial para a sua felicidade real.

Como a obsessão influencia no relacionamento

Estar numa relação obsessiva é algo prejudicial não só para quem alimenta esse tipo de sentimento, mas também para quem é alvo dele.

A pessoa que nutre a obsessão não é capaz de se satisfazer com as coisas que naturalmente devem trazer felicidade, se não estiver junto do outro. E mesmo quando está perto da pessoa, fica tão preocupado/a em fazer de tudo para não perdê-la que também não conhece a verdadeira felicidade.

Do outro lado, a pessoa alvo sente-se extremamente sufocada e presa num relacionamento abusivo que vai acabando aos poucos com o seu emocional.

A obsessão faz com que tudo se torne um exagero no relacionamento e isso pode ser muito negativo. Por exemplo, se o parceiro demora um pouco mais do que o normal para responder uma mensagem, já é motivo para uma discussão com acusações e desconfiança.

Além disso, a pessoa obsessiva exige do outro que o seu sentimento seja igualmente intenso, o que pode não acontecer, aumentando ainda mais a insegurança que já tem.

4 dicas para curar a obsessão por outra pessoa

Separámos algumas dicas para ajudá-lo/la a evitar e eliminar os comportamentos e pensamentos obsessivos por alguém. Desta forma, não irá prejudicar os seus relacionamentos.

Amor Próprio

É importante entender que nenhuma outra pessoa tem o poder de fazê-lo/la feliz além de si mesmo/a. Por isso, é necessário parar de colocar todas as suas expectativas e esperanças nos outros.

A felicidade no relacionamento só vai ser alcançada quando aprender a ser feliz consigo mesmo/a. Então, comece primeiro pelo amor próprio.

Auto-estima

Você é uma pessoa extraordinária e, se os outros não percebem isso, a culpa não é sua.

Olhe para dentro e valorize todas as suas qualidades, perceba as crenças que limitam o seu potencial e aprenda a apreciar a sua própria presença.

Quem se ama, não sente necessidade de procurar esse amor e essa validação nos outros.

Autoconfiança

Se não confia na sua capacidade de ser completo/a sozinho/a, ou até mesmo de ser alguém único e incrível, vai acabar por mudar o seu comportamento apenas para agradar os outros.

Evite deixar a sua essência de lado e aprenda a confiar nas suas potencialidades, as pessoas vão amá-lo/la mais verdadeiramente por quem é e não por quem finge ser.

Não queira controlar o incontrolável

Ninguém tem o controlo sobre o sentimento do outro. Além de ser completamente errado, é também impossível exigir que alguém o/a ame ou fique ao seu lado se não deseja.

Ao fazer isso, vai apenas sufocar o outro e fazer com que ele se sinta ainda mais desconfortável na sua presença. Não perca seu tempo com isso.

Se alguém não gosta de si, vai fazer o que? Siga em frente, que com certeza outras pessoas vão gostar.

Cuidar das suas emoções e manter o equilíbrio emocional é essencial para uma vida mais feliz, equilibrada e saudável.

Conclusão

A obsessão não é algo saudável ou positivo para ninguém, pois pode deixar marcas profundas e desequilibrar qualquer relação.

Se perceber que não é capaz de vencer esse sentimento sozinho/a, procure ajuda especializada. Um psicólogo vai poder ajudá-lo/la a superar esse obstáculo.

O amor existe para nos fazer sentir bem um com o outro, é sobre trocas e reciprocidade e não comporta o mal-estar.

Este artigo fez sentido para si? Se este conteúdo o/a ajudou de alguma forma e acredita que ele pode ajudar muitas outras pessoas, sinta-se livre para curtir e compartilhar nas suas redes sociais.
Iniciar sessão to leave a comment


8 dicas para interpretar a linguagem corporal masculina